RSS

Dicas de Saúde

Dez dicas para o idoso deglutir com segurança

A Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia do Rio de Janeiro lançou uma cartilha sobre deglutição, iniciativa que integra uma série sobre cuidados e segurança da pessoa idosa. Márli Borborema, mestre em Fonoaudiologia e presidente de Gerontologia na SBGG-RJ, já alertava que, com o processo do envelhecimento, o indivíduo perde massa muscular e, consequentemente, força na musculatura responsável pela deglutição. Por isso, aqui vão dez dicas para que a hora da refeição não gere estresse, nem riscos:

 

1) Postura: o idoso tem que ficar sentado confortavelmente, com cabeça, pescoço e tronco posicionados no meio do corpo.

 2) Distração: evitar TV ligada, gente falando e tumulto na hora da refeição. O idoso não deve conversar enquanto come, é importante que preste atenção na deglutição.

 3) Pescoço: o grande segredo da deglutição está no pescoço, é importante observar a região da frente, onde se dá a passagem do alimento.  O movimento não deve ser rápido, nem lento demais.

 4) Deglutição vazia: estimular a deglutição vazia (só de saliva) antes da oferta de alimento, principalmente antes da administração de comprimidos. Pode-se usar uma colher de sobremesa limpa e gelada, ou uma colher melada de algum sabor. O idoso independente fará isso sem ajuda.

 5) Consistência: não alterar a consistência alimentar sem consultar o profissional de saúde que acompanha o idoso (médico, nutricionista, fonoaudiólogo).

 6) Ritmo: é importante esperar uma deglutição de alimento – lembrar que água também é alimento – e, em seguida, uma deglutição vazia, que completa uma sequência. Comer pode cansar!

 7) Programação: a refeição deve ser interrompida se a pessoa estiver cansada, suando muito ou com respiração ofegante. Neste caso, é melhor programar refeições pequenas com intervalos menores.

 8) Utensílios: sempre utilizar produtos resistentes, sejam de plástico ou de vidro. Dependendo do grau de dependência do idoso, usar colheres menores (em vez das de sopa, optar pelas de sobremesa). Copos baixos com gargalo estreito são mais seguros.

 9) Após a refeição: fazer a higiene oral logo depois, principalmente se a pessoa usar prótese dentária, parcial ou total. O idoso deve ficar sentado, o mais ereto possível, pelo menos 40 minutos. A soneca pode esperar um pouquinho.

 10) Saúde oral: dependendo do estado cognitivo da pessoa, é arriscado fazê-la bochechar água durante a higiene oral – há risco de ela broncoaspirar. As próteses dentárias devem estar ajustadas e em bom estado de conservação. À noite, manter as próteses em solução orientada pelo dentista e recolocá-las na manhã seguinte, depois de escová-las com creme dental.

 

 

 

 

Fonte: g1.globo.com/bemestar

Banho quente queima tantas calorias como uma corrida, revela estudo

Correr pode queimar muitas calorias e ser extremamente benéfico pra quem procura estar sempre em forma, mas se você é do time que não curte se jogar em uma corrida, aqui vai uma ótima notícia: tomar um banho quente pode ser tão eficaz quanto praticar esse exercício, viu!? 

Um pesquisador da Universidade de Loughborough revelou em recente estudo que banhos mais quentes possuem um maior controle de açúcar no sangue, ajudando no tratamento de diabetes e no número de calorias queimadas. A pesquisa recrutou 14 pessoas que desfrutaram de uma hora de imersão em um banho a 40 graus celsius e outras que foram andar de bicicleta pelo mesmo período. 

Embora o resultado tenha mostrado que o banho não queimou a mesma quantidade de calorias do que a corrida de bike, os pesquisadores descobriram que este seria tão eficaz quanto uma caminhada de 30 minutos. 

"O percentual de açúcar no sangue de quem tomou banho era aproximadamente 10% mais baixo comparados com os de quem se exercitou", conclui o Dr. Steve Faulkner, um dos responsáveis pelo estudo. 

Faulkner ainda explica que as propriedades antiinflamatórias do exercício são importantes para o nosso sistema imunológico e nos ajudam a combater muitas doenças. "Isso sugere que o aquecimento passivo repetido pode contribuir para a redução da inflamação crônica, que muitas vezes está presente em doenças de longo prazo, como o diabetes tipo 2." 

 

Fonte: revistaglamour.globo.com

SEDENTARISMO FINANCIA ALZHEIMER!

A maioria da população não possui defeitos no DNA que predispõem a essa demência. Porém, segundo estudo da Universidade McMaster, no Canadá, essa boa notícia pouco importa se você fica parado. Após avaliar 1.646 indivíduos, os cientistas notaram que o risco de ter Alzheimer é similar entre os sedentários e os donos de um genoma desfavorável. "Isso signifca que, por meio da atividade física, podemos preservar a cognição", indica a fisiologista Jennifer Heisz, líder da investigação.

O LADO NEGATIVO: Infelizmente, voluntários com falhas no código genético não viram o risco de Alzheimer cair ao suarem a camisa. "Mas estudamos pessoas acima de 60 anos. Talvez adultos mais jovens com essas alterações se protejam ao fazer exercício", sugere a autora do trabalho.

 

FONTE: Revista Saúde.

Incontinência urinária sob controle!

A dificuldade de segurar o xixi é comum com o avançar da idade - quase um terço das pessoas acima de 75 anos sofre com ela. Com foco em minimizar essa chateação, um time da Universidade Duke, nos Estados Unidos, avaliou, em 381 mulheres, o efeito de dois dos principais recursos disponíveis. 

O primeiro grupo recebeu injeções de toxina botulínica, que enrijecem os músculos da bexiga e impedem contrações involuntárias. 

O segundo foi submetido à neuromodulação, espécie de marcapasso colocado no nervo sacral que ajuda a domar os estímulos para ir ao banheiro. 

Os pesquisadores descobriram que as voluntárias tratadas com o botox tiveram menos episódios de descontrole do xixi. Segundo o urologista Fernando Almeida, da Universidade Federal de São Paulo, ambos os procedimentos são pouco invasivos e têm eficácia parecida. A escolha leva em conta a capacidade de adesão do paciente ao tratamento, já que as injeções são reaplicadas a cada nove meses e o neuromodulador é instalado uma única vez numa pequena cirurgia. O dispositivo tem um preço mais salgado, embora hoje possa ser custeado pelo SUS.

Dicas para segurar o xixi

Técnicas comportamentais - Trabalham a mente e o corpo de modo que o sujeito tome consciência da vontade de urinar.

Exercícios Pélvicos - São receitados para fortalecer os músculos no baixo ventre, o que evita as escapadas involuntárias de xixi.

Medicamentos - Existem vários tipos nas fármacias, mas seu uso depende da origem do problema. Só o médico está apto a indicá-los.

Eletroestimulação - Por meio de eletrodos são aplicadas correntes elétricas de baixa potência que tonificam os músculos pélvicos.

Cirurgia - É o último recurso contra a incontinência, geralmente prescrita a casos mais graves ou quando outras terapias falham.

 

Fonte: Revista Saúde

BLOG DO MÉDICO - MENOPAUSA

No Blog do Médico de hoje, a doutora Ana Carolina Gandolpho falará sobre a Menopausa, seus sintomas e suas causas.

Fique por dentro deste assunto! =D

COMIDA QUE FAZ A CABEÇA DOER

Café, chocolate, queijo....a lista de alimentos por trás da enxaqueca é grande. 

A saúde apresenta os campeões de reclamação e discute com especialistas o impacto do cardápio no surgimento e na prevenção das crises.

Os ataques de enxaqueca, tão tristemente famosos quanto misteriosos, são causados por uma lista longa de fatores, das mudanças bruscas de temperatura ao esforço físico. "O cérebro de quem sofre com a doença é mais sensível a estímulos e desequilíbrios que normalmente não afetam outras pessoas", resume Fernando Kowacs, neurologista que coordena o Departamento de Cefaleia da Academia Brasileira de Neurologia.

Para entender melhor como uma coisa está ligada na outra, pesquisadores da Universidade de Cincinnati, nos Estados Unidos, revisaram mais de 180 estudos sobre o impacto do menu na dor de cabeça. Eles concluíram que a associação é forte a ponto de justificar uma mudança na abordagem do tratamento. "Atualmente, o foco está nas medicações, mas deveria incluir mais as dietas preventivas e os hábitos alimentares de cada um", aponta Vicent Martin, médico da Instituição Americana e um dos autores do trabalho. A extensa investigação sugere dois caminhos para que as refeições passem de vilãs a coadjuvantes no combate à doença. Primeiro, evitar os ingredientes-gatilho, tática que já é utilizada nos consultórios. O passo seguinte é priorizar uma alimentação que espante novas ocorrências.

O problema nessa história é que não dá apenas para dizer que aquela taça de vinho ou o sanduíche do final de semana sejam com certeza os causadores do incômodo. "O fato de um grande número de pessoas ter enxaqueca depois de comer determinado alimento não quer dizer que isso ocorrerá com todo mundo. Os fatores que disparam o problema são muito individuais", destaca Norma Fleming, neurologista e membro da Sociedade para Estudo da Dor Crônica. Portanto, melhor é descobrir o que faz mal antes de adotar um cardápio específico. Mesmo porque até itens saudáveis, como castanhas, frutas cítricas e banana-nanica, podem desencadear crises em sujeitos sensíveis. 

O trabalho americano analisou, por exemplo, a retirada do glúten das garfadas e viu que a proibição só evitava cefaleia em portadores de doença celíaca, que não toleram a proteína de jeito nenhum. Já os regimes que proíbem carboidratos geram polêmica. Embora o cérebro dependa da glicose obtida dessas moléculas para trabalhar direito, há indícios de que sua limitação seja benéfica para os enxaquecosos.

CAFÉ - Ele e o cérebro vivem uma relação quase sempre de amor. Tanto é que, na maioria das vezes, é a falta de cafeína que causa panes - aliás, ela até está presente em vários analgésicos justamente por potencializar a ação de alguns princípios ativos. "Quem toma a bebida diariamente pode sentir desconforto depois de mais de 24 horas sem nenhuma dose", explica Vincent Martin. Os especialistas recomendam que o consumo fique em no máximo três xícaras por dia. Vale lembrar que há cafeína também nos refrigerantes, suplementos de academia e em outras bebidas.

ÁLCOOL - Não é preciso nenhum estudo para perceber que a bebedeira bagunça a cabeça. Por isso, vale aqui uma diferenciação. Há a dor da ressaca, causada pela desidratação e por outros efeitos do abuso de álcool no organismo, e há a enxaqueca disparada por drinques específicos, quando basta uma dose para estragar a happy hour. Nesse quesito, o campeão é o vinho tinto, cheio de moléculas benéficas para as artérias, mas disparadoras de dor para alguns azarados. E diferentemente do que muita gente pensa, não é a qualidade ou a origem da bebida que fazem estrago. "Um estudo já comparou as queixas depois de goles de rótulos nacionais e importados e viu que mais gente reclamava após tomar o vinho francês", conta Kowacs. Não tem muita solução a não ser cortar as taças da rotina até que o problema esteja sob controle. Já para evitar a dor de cabeça comum, a dica é tomar água entre as doses e não brindar de barriga vazia - além de beber com moderação, sempre.

CHOCOLATE - Eis um clássico na lista. É que o cacau contém teobromina, substância com efeito estimulante e vasodilatador também encontrada no vinho tinto - e algumas pessoas são sensíveis a ela. O chocolate branco até tem essa molécula, mas em menores quantidades. E há ainda uma associação curiosa nessa história: o desejo incontrolável pelo doce. "Muitos dizem que o chocolate foi o estopim, mas na verdade a própria fissura já é um sinal do comportamento alterado que precede a crise de enxaqueca em 60% dos casos", decifra Kowacs. A fase que antecede o sofrimento é chamada de pródromo e começa até dois dias antes da dor em si. Além da vontade intensa, durante esse tempo é normal sentir alterações de humor, como irritabilidade, euforia e picos de energia, sem contar perrengues como enjoo.

QUEIJOS - "Como são derivados lácteos, todos os queijos possuem componentes que servem de gatilho à dor, a exemplo de proteínas grandes demais para serem digeridas e potencialmente alergênicas", diz Laís. Nos organismos mais sensíveis, essas proteínas são confundidas com agentes agressores e atacadas pelas defesas do corpo, numa reação em cadeia que leva ao desconforto. Mas a balança pesa mesmo para os tipos mais calóricos, caso do gorgonzola e do parmesão, e os curados e envelhecidos. "Ainda não temos muitos estudos sobre os mecanismos desse processo, mas parece que a própria gordura, presente em maiores quantidades, favoreceria o ataque", completa a nutricionista. Sem contar que o queijo tem tiramina, componente encontrado em outros itens desta lista negra como o vinho!

Fonte: Revista Saúde

 

BLOG DO MÉDICO - FOTOPROTEÇÃO!

A Almaderma tem novidades! 

Todo mês postaremos vídeos em parceria com médicos especialistas de Jundiaí e região!

E para a estreia do Blog do Médico, convidamos a doutora Luciane Hubner, dermatologista.

No vídeo abaixo, ela explicará um pouco mais sobre fotoproteção e suas novas tecnologias. 

 

ÁGUA: QUAL A QUANTIDADE DIÁRIA NECESSÁRIA?

A água é fundamental para o bom funcionamento do organismo, para o transporte de nutrientes, para a regulação da temperatura corporal, entre outras funções. Mais de 60% do corpo de um ser humano adulto é composto de água.

Quem nunca ouviu dizer que precisamos tomar pelo menos 2 litros de água por dia para que o organismo funcione bem? Mas será que essa é a quantidade adequada para todos os indivíduos? Como saber quanta água devemos ingerir por dia?

Na verdade, a quantidade de água a ser ingerida depende de uma série de fatores que vão desde a quantidade de exercício realizada até a temperatura do ambiente em que estamos.

A seguir, veja alguns fatores que influenciam e determinam a quantidade de água que devemos beber diariamente:

  • Nível de atividade física: Quem corre todos os dias necessita de mais água do que alguém que faz caminhadas três vezes por semana. Portanto, quanto mais intensa a atividade física realizada, maior a quantidade de água necessária. Também é importante tomar água durante e depois das atividades físicas.
  • Clima: Quem mora em cidades quentes precisa de mais água do que quem mora em locais mais frios. Também precisamos de mais água no verão, quando suamos mais e, portanto, perdemos mais água, do que no inverno.
  • Metabolismo: Quem tem um metabolismo mais acelerado necessita de mais água do quem tem o metabolismo mais lento.
  • Peso: Uma pessoa de 100 kg precisa de mais água do uma de 50 kg. Quanto maior o peso, maior a necessidade de água.
  • Dieta: Se você ingere muito sal, vai precisar de mais água do quem come mais frutas e verduras, que são ricas em água.
  • Estado geral: Algumas condições físicas interferem na necessidade de água. Se você tiver febre, por exemplo, deverá aumentar a ingestão de líquidos. A mesma dica vale para quem apresentar episódios de diarreia ou vômitos. Para repor o líquido perdido, opte por caldos e sopas em vez de líquidos açucarados. Algumas doenças, como insuficiência renal, por exemplo, exigem limitação da quantidade de água ingerida.
  • Consumo de álcool: Se for ingerir álcool, procure alternar a bebida alcóolica com água. A dica é tomar um copo de água depois de cada drink,  já que o álcool ajuda a desidratar o organismo.

Para que não reste dúvidas, observe a frequência com que você urina e a cor da sua urina. O ideal é que ela seja amarelo-clara.

Se a urina estiver amarelo-escura e com odor forte e você estiver indo menos vezes do que costuma ao banheiro, é sinal de que está ingerindo pouca água. Tome dois copos de água para se hidratar.

Por outro lado, se estiver urinando muito e a urina estiver límpida, transparente, provavelmente você está ingerindo água em excesso. Tomar muita água, além da necessidade, pode causar diluição do sangue e, em casos extremos, do sódio no organismo.

 

Fonte: drauziovarella.com.br

O perigo do sol de verão!

De acordo com o INCA (Instituto Nacional de Câncer), por ano são registrados 135 mil novos casos de câncer no Brasil, sendo 25% representado pelo câncer de pele. Os números são alarmantes para o verão que se aproxima. Chegou o momento de férias, curtição, praia, piscina, calor, mas é preciso cuidado, porque a exposição excessiva ao sol é a princpal causa da doença.

O QUE É CÂNCER DE PELE? - É uma doença provocada pelo crescimento anormal das células da pele. De acordo com a camada afetada, é definido o tipo de câncer: carcinoma basocelular, espinocelular e o melanoma, esse último, o mais letal de todos. Na maioria dos casos, o crescimento anormal ocorre quando a pele recebe exposições excessiva ao sol ou raios ultravioletas artificiais, como no caso das câmaras de bronzeamento.

QUEM ESTÁ PREDISPOSTO PARA DESENVOLVER O CÂNCER DE PELE? - Os grupos mais preocupantes são os fototipos I e II, nos quais há maior agressão à pele: pele clara, com sardas, cabelos claros ou ruivos ou olhos claros. Porém, todas as pessoas devem ficar atentas.

Além destes grupos, os que possuem antecedentes da doença na família, principalmente no caso de melanoma, ou que trabalham com exposição solar ou com determinados agentes químicos devem redobrar a atenção e os cuidados.

COMO PREVENIR? - Deve-se  usar protetor solar, de no mínimo fator 30, todos os dias e renovar a camada a cada três horas no máximo. O horário menos favorável para a exposição solar é entre às 10h e às 16h. Nesse período de radiação intensa, prefira ficar na sombra, debaixo de barracas de algodão ou lona, que filtram 50% dos raios UV, use chapéus, óculos escuros e camisetas para se proteger.

POR QUE OS RAIOS UV SÃO AGRESSIVOS À NOSSA PELE? - A radiação ultravioleta B está mais elevada nos horários mais críticos do dia (entre às 10h e às 16h) e ela promove o aparecimento de manchas e induz o câncer de pele. Já a radiação ultravioleta A é constante ao longo do dia e penetra mais profundamente na pele, promovendo o envelhecimento (com o aparecimento de rugas e a perda da elasticidade) e o aparecimento do câncer de pele. A preocupação maior é justamente a alteração que os raios UV promovem no DNA da pele, gerando dessa forma, o câncer de pele. 

QUAL A IMPORTÂNCIA DO PROTETOR SOLAR? - Ele é capaz de prevenir os perigos causados pela exposição solar, como envelhecimento precoce, queimaduras e, claro, o câncer de pele. É importante ressaltar que o filtro deve ser associado à exposição solar em horários seguros e por poucas horas, por todas as pessoas, não só as que estão nos grupos de risco. O produto ideal deve absorver os raios UVA e UVB e, mesmo o que se diz resistente à água, deve ser replicado a cada 3 horas no máximo. 

QUAIS SÃO OS RISCOS DO BRONZEAMENTO ARTIFICIAL? - A prática, quando realizada por pessoas antes dos 35 anos, aumenta em 75% o risco de câncer de pele, bem como acelera o envelhecimento e provoca dermatoses, segundo dados da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Por causa dos números apresentados, desde 2009 o bronzeamento artificial está proibido no Brail, o primeiro país no mundo a tomar medidas restritivas ao procedimento.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO CÂNCER DE PELE? - Observar o seu corpo é fundamental para registrar qualquer anormalidade e alteração, já que o câncer se manifesta como pintas novas ou antigas com crescimento, multicoloridas, com bordas irregulares e feridas que sangram facilmente e que não cicatrizam. Algumas formas de câncer podem se assemelhar à eczema. Em caso de qualquer suspeita, consulte um médico dermatologista para a realização de dermatoscopia e de uma biópsia, para o diagnóstico seguro do câncer. 

 

Fonte: Revista Cuide-se Bem

Vai exagerar nas festas? Confira um guia definitivo de emagrecimento para o fim do ano!

Tender, panetone, rabanada... Com tantas delícias típicas das festas de fim de ano, fica difícil se manter na linha e não colocar o projeto verão todo a perder. Mas se escapar completamente da tentação dos alimentos calóricos parece estar fora de cogitação, exercer o autocontrole e adotar algumas medidas simples pode ser o caminho para não entrar em guerra com a balança. Consumir de cinco a seis mil calorias em um único dia, alerta o endocrinologista Pedro Assed, é o que leva muitas pessoas a engordarem até 5kg nesse período, em função, principalmente, da combinação problemática entre bebida alcoólica e altas concentrações de gordura e carboidrato.

"Beliscar o tempo todo nas festas, acordar tarde e pular o café da manha,  exagerar nas bebidas e ficar muito tempo em jejum são alguns dos hábitos que podem fazer um indivíduo ganhar muito peso nessa época do ano", complementa. Se identificou? Não tem problema! Estabelecendo algumas metas de emagrecimento saudável é possível perder até 1kg por semana e dar adeus àqueles quilinhos extras a tempo de estar em plena forma para o verão. Confira abaixo algumas dicas valiosas de especialistas:

1- Pegue leve nos alimentos com alto teor de sódio para evitar o inchaço!

Não é segredo que os alimentos industrializados, que contêm alto teor de sódio, como refrigerantes e pães de sal, e aqueles ricos em glúten, como massas, bolos e biscoitos, podem provocar a incômoda sensação de inchaço. Isso acontece porque o sódio "puxa" água junto com ele, favorecendo a retenção hídrica e podendo aumentar a pressão arterial e provocar edemas. Segundo Pedro Assed, o cuidado deve ser redobrado no caso de mulheres que estão com sobrepeso, fazem uso de algum anticoncepcional oral e já apresentam maior retenção de líquido normalmente, pois elas podem desenvolver o inchaço com maior facilidade, principalmente, nas extremidades do corpo.

"A melhor dica para combater o inchaço provocado por esses alimentos seria evitá-los mas, além disso, é importante beber bastante líquido para aumentar a diurese e diminuir a chance de retenção pelo organismo. Outra dica é caminhar durante o dia evitando ficar com os pés para baixo durante períodos prolongados de tempo e fazer ingestão de chá, pois são potentes diuréticos e aliviam essa sensação", recomenda o médico membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).  Parece mais fácil falando do que fazendo? A nutricionista Gisele Carvalho, da Clinica MedPrimus, também garante que uma simples troca de alimentos embalados por frescos pode ajudar a reduzir as medidas da cintura. "Troque o sal de cozinha por temperos como a pimenta, alho e curry, por exemplo. Somente com esta dica você já terá um resultado muito bom no inchaço."

 

2- Contar calorias? Prefira fazer um balanço dos nutrientes!

Não tem jeito, os pratos tradicionalmente servidos nas ceias de Natal e de Réveillon são, sim, muito calóricos. Mas, em vez de ficar contando cada caloria ingerida, você pode obter mais sucesso em balancear a alimentação se focar no equilíbrio na ingestão de nutrientes. Nunca é demais lembrar que uma refeição completa deve conter carboidratos, proteínas e gorduras e é justamente a oferta adequada desse aporte de substâncias necessárias ao corpo que proporciona melhores resultados em energia, saciedade e perda de gordura.

Dito isso, é hora de colocar na balança os nutrientes. A médica endocrinologista Viviane Oliveira e a Coach Kelly Fernandez, autoras do 'Programa Ser Mais Leve', ressaltam a importância das gorduras - que costumam ser vilanizadas e as primeiras a serem cortadas da dieta -, como fonte de energia, na absorção das vitaminas lipossolúveis A, D, E e K e promovendo a sensação de saciedade. "Gorduras monoinsaturadas e poli-insaturadas, como o abacate, azeite de oliva, nozes, coco, sementes e peixes são bem-vindas à dieta", garantem. Já os carboidratos simples e açúcares refinados, apesar de fornecerem energia, não apresentam os mesmos nutrientes que os carboidratos complexos e produzem picos de açúcar no sangue, podendo ser substituídos por versões integrais e grãos.

3- Dê tanta atenção para as bebidas quanto para as comidas

Neste fim de ano, que tal abolir as bebidas dietéticas e saborizadas artificialmente? Beber água, de acordo com as especialistas, ajuda a promover a saciedade, já que a desidratação pode ser interpretada como fome e, consequentemente, reduz a ingestão de calorias. Além disso, também colabora com o metabolismo e eleva o gasto energético basal, isto é, o número de calorias queimadas ao longo do dia. Se, quanto mais água melhor, o mesmo não pode ser dito das bebidas alcoólicas, que não só têm o potencial de inibir decisões alimentares conscientes ao longo da noite, como também possuem alto valor calórico.

A endocrinologista Viviane Oliveira lembra que, enquanto cada grama de gordura possui nove calorias, uma de álcool possui sete. Assim, se você consumir cinco chopes, estará consumindo 650 calorias; se beber três taças de vinho tinto seco, serão 390 calorias; e se forem duas caipirinhas, terá ingerido o equivalente a 500 calorias.

 

4- Controle os seus hormônios e desejos

Você costuma comer mais quando está ansiosa ou de TPM? E quando sai com os amigos, têm mais dificuldade de resistir às tentações? Saber identificar esses "gatilhos" e driblá-los, tendo opções de alimentos saudáveis sempre por perto nesses momentos, é uma dica valiosa para quem já está com receio de perder a mão nas comemorações de fim de ano. Antes de ir para um evento, por exemplo, faça um lanche leve para não chegar faminta e atacar o buffet.

Além disso, é sempre mais fácil comer além da conta quando se tem muita comida no prato, por isso, prefira porções menores. Como regra geral, a nutricionista Gisele Carvalho recomenda manter as porções menores que o tamanho do punho, à exceção de saladas, que podem ser consumidas em maior volume. "Usar um prato menor pode fazer você se sentir mais satisfeita com a mesma quantidade de comida", afirma. Dar tempo para o corpo registrar o fato de que não está com fome também é uma forma de acabar com aquela vontade avassaladora de comer um docinho. Na próxima vez, procure esperar dez minutos antes de pegar uma sobremesa e se distraia com um café, um chá ou um copo de leite com mel para conter a ansiedade pelo açúcar.

Ficar muito tempo sem se alimentar também é a receita para o fracasso do seu plano alimentar. O organismo produz um hormônio chamado grelina - responsável por controlar a fome e impulsionar o apetite -, que deve ser controlado e monitorado por meio de lanches equilibrados a cada três ou quatro horas. Não espere chegar ao nível máximo de fome para se alimentar, pois isso significa que a grelina atinge um pico e desperta a vontade por açúcares e carboidratos.

Fonte: gnt.globo.com